Beneficios dos Alimentos

Saiba  preparar sucos nutritivos  que fazem bem à saúde  e melhoram funcionamento do sistema digestivo e imunológico                                    Clique aqui http://glo.bo/xR6sxg e veja também os beneficios da Acerola,  Água de Coco, Mamão Papaia,Couve, Gengibre, Açai, Morango , Uva, Maças e Ervas:-Salsão,Hortela,Cidreira e Erva Doce.

Conheça as diversas utilidades do óleo do coco – Universo Jatoba.

Saiba mais sobre o ácido fólico : um importante protetor contra doeonças do coração , câncer e diabetes

  Saiba mais sobre o ácido fólico: um importante protetor contra doenças do coração, câncer e diabetes

A Nutrição nos prega algumas peças. Como falar do ácido fólico e …Veja Mais
Que tal aproveitar tudo que as frutas podem oferecer?
De todos os alimentos que consumimos o mais belo talvez seja a fruta. Contudo, na hora de comprar, …Veja Mais

Limpe seus rins…é fácil!

os 7 – Alimentos para reduzir o colesterol

Se você tiver níveis altos de colesterol (ou deseja evitá-los), uma das primeiras coisas que você deve examinar é a sua dieta. Você está consumindo alimentos que ajudam a reduzir o colesterol? Ou tem evitado aquelem que aumentam? Se não, nós preparamos uma lista de 7 alimentos que devem estar no seu carrinho de compras e que prometem baixar o seu colesterol, naturalmente.

Amêndoas                                                                                                                                     As amêndoas são trabalhadoras árduas quando se trata de reduzir seu colesterol. Primeiro, elas são ricas em gorduras insaturadas que ajudam a aumentar o colesterol HDL (saudável) enquanto reduzem LDL (ruim). Segundo, essas gorduras também ajudam a impedir que o colesterol LDL seja oxidado, o que é ótimo, porque o LDL oxidado é mais agressivo para as suas artérias e mais capaz de entupi-las. Inclua amêndoas na sua dieta. Mas tome cuidado com a quantidade: as amêndoas são ricas em calorias, e tudo que você precisa são 10-12 delas por dia.

Azeite de oliva                                                                                                                                 Este óleo é uma estrela no mundo da nutrição – rico em antioxidantes e gorduras monoinsaturadas que reduzem o mau colesterol (LDL) e elevam o bom (HDL). De fato, em um estudo que analisou pessoas com colesterol alto, amostras de sangue apresentaram menor potencial de formar coágulos duas horas após os pacientes do estudo comerem uma refeição com azeite de oliva. Isso porque o azeite é rico em compostos fenólicos, substâncias vegetais que tornam o sangue menos susceptível a coagular. Tudo o que você precisa é de cerca de 2 colheres de sopa por dia para se beneficiar (use-o no lugar de outras gorduras).

Aspargos no vapor                                                                                                                          Não há nada de errado com um prato de legumes cozidos na sua dieta, mas preparar no vapor pode ajudar a manter as propriedades medicinais de alguns alimentos, incluindo os aspargos. Outros vegetais que melhoram após um tempo curto no vapor são: beterraba, quiabo, cenoura, berinjela, feijão verde e couve-flor. Pesquisadores acreditam que cozinhar estes vegetais no vapor pode ajudá-los a eliminar ácidos biliares, o que significa que o fígado precisa gastar colesterol LDL para fabricar a bile. Resultado: menos colesterol ruim na sua circulação.

Mingau de aveia                                                                                                                            Sua mãe estava certa! Começar o dia com uma tigela de mingau de aveia é uma opção inteligente. De todos os cereais integrais, a aveia é a melhor fonte de fibra solúvel – o tipo de fibra que forma um gel e previne que o colesterol seja absorvido na corrente sanguínea. Tenha como alvo comer de 5 a 10 gramas de fibra solúvel por dia. Se você comer 1 xícara de farinha de aveia cozida no café da manhã, você já tem 5 gramas dessa fibra. Adicione ao mingau uma maçã picada e pronto, você já ganhou mais 3 gramas.

Mirtilos                                                                                                                                           Você já deve ter ouvido que o mirtilo (blueberry, em inglês) é um superalimento. Qual a razão para tanta fama? Eles ajudam a manter suas artérias limpas, reduzindo os níveis sanguíneos de colesterol LDL. Os investigadores suspeitam que isso ocorre porque as amoras melhoram a função hepática. O resultado final: o colesterol é varrido para fora da circulação muito mais facilmente. Desfrute de mirtilos frescos, congelados ou liofilizados. Eles ainda têm os mesmos benefícios.

Tomates                                                                                                                                        Coma tomates e seus derivados, ricos em licopeno, todos os dias por algumas semanas e você pode diminuir o seu mau colesterol LDL em quase 10%, de acordo com um estudo recente. Pesquisadores acreditam que o licopeno dos tomates inibe a produção de LDL, enquanto que, ao mesmo tempo, ajuda a quebrar essa gordura. Entretanto, o licopeno é melhor absorvido pelo corpo nos tomates cozidos. Você deve consumir pelo menos 25 miligramas de licopeno por dia para ter esse benefício, o que significa meia xícara de molho de tomate.

Abacates                                                                                                                                          Eles estão repletos de gorduras monoinsaturadas e amigas do seu coração, que derrubam os triglicérides e o colesterol ruim, enquanto aumentam o colesterol bom. Prepare uma deliciosa guacamole para comer com saladas ou mesmo com pão integral torrado.             Estes alimentos, associados com atividade física regular, repouso adequado, diminuição do consumo de açúcares refinados e gorduras de origem animal, vão ajudá-lo a manter seu colesterol dentro dos limites saudáveis, naturalmente!

Os benefícios do Gengibre.

Xarope de Nabo – Expectorante Natural

Postado por  em 17 de julho de 2013
naboO nabo é uma hortaliça que possui diversas propriedades medicinais. Ele é rico em vitaminas A, C, E e do complexo B, além de sódio, cálcio, ferro, fósforo e outros minerais essenciais. O nabo também atua como um expectorante natural, ajudando a limpar as vias respiratórias. Por isso, seu consumo é altamente indicado para casos de bronquite, tosse, sinusite e outros problemas relacionados. Acredita-se ainda que a hortaliça funcione como diurético, anti-inflamatório e purificador do sangue.

A receita do xarope de nabo é indicada principalmente para o tratamento da tosse, quando há necessidade de eliminar o catarro dos pulmões. O xarope também pode ser utilizado em casos de crise de bronquite, asma ou sinusite. Ele ajuda a eliminar os sintomas dessas doenças e controlar as crises.

Ingredientes                                                                                                                                      1 nabo                                                                                                                                               3⁄4 de xícara (chá) de mel

Modo de Preparo

  1. Lave bem o nabo com água e uma esponja limpa.
  2. Corte-o em rodelas com, mais ou menos, 1 cm de espessura, sem retirar a casca.
  3. Distribua as rodelas em uma travessa de vidro, cobrindo com uma camada de mel. Se necessário, intercale camadas de nabo e mel.
  4. Cubra o recipiente com um pano e deixe descansar por 12 horas.
  5. Depois desse tempo, você perceberá que um líquido se formou no fundo da travessa. Mexa um pouco e então coe o xarope.
  6. Ponha a mistura em um vidro e mantenha guardado na geladeira.

Tome 3 colheres de sopa do xarope ao longo do dia: pela manhã, à tarde e antes de dormir.

7 alimentos e remédios caseiros que podem salvar sua vida 

O que é de fato ter uma vida saudável? Como posso avaliar com precisão a minha própria qualidade de vida? Estas são algumas das perguntas que um número crescente de pessoas estão se perguntando ao testemunharem o aumento dos problemas de saúde no país, na forma de alergias, doenças auto-imune, problemas neurológicos, transtornos de desenvolvimento, e doenças crônicas. Mas as respostas para estas importante perguntas devem ser experimentadas para serem totalmente compreendidas, e a única maneira de experimentá-las é realmente vivê-las.

Aqui estão sete especiarias, alimentos e remédios caseiros que podem não só te ajudar a experimentar uma renovação de saúde dramática e perceptível, mas que podem também acabar salvando a sua vida no futuro:

1) CÚRCUMA (Açafrão). Este membro extraordinário da família do gengibre tem sido apelidado de “rei de todas as especiarias” por uma boa razão. O açafrão traz benefícios para a saúde a curto e longo prazo, o que o tornam um “superalimento” da mais alta ordem, oferecendo suporte para a saúde dos ossos, pele, articulações, sistema digestivo, imunológico, circulatório e neurológico. Rico em curcuminóides, que ajuda a combater doenças, a cúrcuma é praticamente inigualável em relação a prover alívio imediato e perpétuo para uma variedade de doenças. Já foi verificado inclusive que a Cúrcuma ajudar a prevenir e tratar o câncer, que é atualmente uma das principais causas de morte.

“Uma extensa pesquisa nas últimos cinco décadas indicou que a curcumina (o ingrediente ativo do açafrão) reduz os níveis de colesterol no sangue, previne a oxidação de lipoproteína de baixa densidade, inibe a agregação plaquetária, suprime trombose e infarto do miocárdio, suprime os sintomas associados à diabetes tipo II, artrite reumatóide, esclerose múltipla e doença de Alzheimer; inibe a replicação do HIV, suprime a formação de tumores, melhora a cicatrização de feridas, protege contra a lesão do fígado, aumenta a secreção biliar, protege contra a formação de cataratas, e protege contra a toxicidade pulmonar e fibrose”, explica uma análise global da benefícios de açafrão.

2)LUZ SOLAR NATURAL (vitamina D). Não há praticamente nenhum outro nutriente mais adequado, ou facilmente obtido, para garantir uma boa saúde do que vitamina D. Uma ampla pesquisa demonstrou que a vitamina D, que é produzida naturalmente no corpo, como resposta a exposição a luz solar e a radiação ultravioleta B (UVB), é importante para a prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes, desordens endócrinas, infecções, insuficiência dos órgãos, problemas de saúde mental, doenças neurológicas e doenças de pele.

3) AMÊNDOAS. Com um excelente valor nutricional, as amêndoas são uma potência de nutrição podendo fornecer alívio imediato e duradouro da dor e de outras condições. Sendo uma rica fonte de potássio, magnésio, cálcio, fósforo, vitamina E e ferro, as amêndoas ajudam a regular os níveis de colesterol, pressão arterial e promover uma perda de peso saudável. Comer um punhado de amêndoas cruas todos os dias pode não só ajudar a evitar problemas de saúde a longo prazo, como doença cardíaca, mas também proporcionar alívio imediato para desconforto digestivo, inflamação e até mesmo dores de cabeça.

4) CAMU CAMU. Encontrado em algumas regiões do Brasil, o camu camu é um alimento fenomenal, e talvez seja um dos frutos mais ricos em nutrientes que existe. Com cerca de 50 vezes mais vitamina C do que a laranja, o camu camu fornece proteção sólida para o sistema nervoso central, que é responsável por regular a função do cérebro, olhos, pulmões, músculos e coração. Comer regularmente o camu camu pode também ajudar a evitar o desenvolvimento de demência e proteger o organismo contra infecções bacterianas e virais.

5) ÁGUA PURA. Porque o seu corpo está sendo constantemente bombardeado com produtos químicos tóxicos, tanto de fontes ambientais como de alimentos, água pura e limpa é essencial para a manutenção de um ecossistema saudável interno. Muitos problemas comuns de saúde são agravados e até mesmo causados por desidratação, e, potencialmente, milhões de pessoas desnecessariamente tomam medicamentos devido à problemas resultantes da falta de água pura, livre de flúor. Portanto, beba mais água, e ajude você mesmo ter uma vida mais saudável e livre de doenças.

6) VEGETAIS CRUCÍFEROS. Brócolis, couve-flor, rabanete, couve de bruxelas, couve e vários outros alimentos da família dos vegetais crucíferos, são alimentos ricos em enxofre, que ajuda a combater a inflamação sistêmica, que é a principal causa de doenças crônicas atualmente. O consumo regular de vegetais crucíferos, que também contém altos níveis de um nutriente anticancerígeno conhecido como sulforafano, pode ajudar a desintoxicar o seu trato gastrointestinal e promover o crescimento e reparação dos tecidos corporais.

7) ALHO. Os benefícios à saúde trazidos pelo alho são numerosos, razão pela qual esta erva tão comum é considerada uma das mais benéficas para a promoção da saúde e do bem-estar. Rico em um composto medicinal conhecido como alicina, o alho tem o potencial de revolucionar a sua saúde, já que pode ajudar a prevenir gripes e resfriados, atua como anti-inflamatório, pode reduzir o risco de câncer, entre muitos outros benefícios. Alho fresco é especialmente benéfico o para bem-estar, uma vez que contém os mais altos níveis de alicina terapêutica.

Fonte: Portal Natural –

10 Alimentos Não Saudáveis e Causadores de Câncer                  -Não os coma mais!

Postado por em 18 de abril de 2013

Pipoca de MicroondasA declaração “tudo provoca câncer” tornou-se uma frase popular que algumas pessoas usam para justificar a sua própria dieta e as falhas de estilo de vida, especialmente no que se refere ao risco de câncer. Mas a verdade é que muitos alimentos comuns têm, de fato, sido cientificamente demonstrados como alimentos que aumentam o risco de câncer, e alguns deles substancialmente.Aqui estão 10 alimentos que estão entre os menos saudáveis e maiores causadores de câncer, e que você nunca deveria comer novamente:

1) Alimentos Geneticamente Modificados (OGM)                                                         Estes alimentos não devem ter lugar em nenhuma dieta livre-de-câncer, especialmente agora que foi mostrado que ambos os OGM e os produtos químicos utilizados para cultivá-los causam um crescimento rápido dos tumores. Mas os Alimentos Geneticamente Modificados estão em toda parte, inclusive na maioria dos derivados alimentares feitos a partir do milho convencional, soja e canola. No entanto, você pode evitá-los comprando produtos certificados como orgânicos e alimentos produzidos localmente e naturalmente sem biotecnologia.                                                                                                                      Nossa dica: que tal começar sua própria horta?

2) Carnes Processadas                                                                                                                A maioria dos produtos cárneos processados, incluindo carnes usadas em fast-food, bacon, salsichas e cachorros-quentes, contêm conservantes químicos que fazem com que pareçam frescos e atraentes, mas que também pode causar câncer. O nitrito de sódio e o nitrato de sódio têm sido associados a um aumento significativo do risco de câncer de cólon e outras formas de câncer, por isso a recomendação é que a carne seja eliminada de suas refeições. Caso você ainda insista em comer carne, certifique-se de escolher apenas carnes feitas sem nitratos, e de preferência a partir de animais alimentados com capim.

3) Pipoca de Microondas                                                                                                            Elas podem ser convenientes, mas os sacos de pipoca de microondas são revestidos com produtos químicos que estão ligados não só a infertilidade mas também ao câncer de fígado, testículo e pâncreas. A Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) reconhece o ácido perfluorooctanoico (PFOA), que são encontrados em forros de saco de pipoca de microondas, como possível item cancerígeno, e vários estudos independentes têm ligado este ácido com a causa de tumores. Do mesmo modo, o produto químico diacetil usado na própria pipoca está ligado a problemas nos pulmões e câncer.

4) Refrigerantes                                                                                                                             Assim como carnes processadas, foi mostrado que refrigerantes podem causar câncer também. Cheios de açúcar, produtos químicos e corantes, refrigerantes acidificam o corpo, e literalmente alimentam as células do câncer. Produtos químicos comuns nos refrigerantes como a cor caramelo e seus derivados 4-metilimidazol (4-MI) também têm sido associados ao câncer.

5) Bebidas Diet                                                                                                                             Pior do que o refrigerante açucarado convencional é o refrigerante Diet, além de várias outras bebidas e alimentos dietéticos. Uma revisão científica recente, realizado pela Autoridade de Segurança Alimentar Europeia (EFSA), com mais de 20 estudos diferentes, descobriu que o aspartame, um dos adoçantes artificiais mais comuns, provoca uma série de doenças, incluindo defeitos de nascença e câncer. A sucralose (splenda), sacarina e outros adoçantes artificiais, têm também sido associados ao câncer.

6) Farinhas “Brancas” Refinadas                                                                                            Farinha refinada é um ingrediente comum em alimentos processados, mas o seu conteúdo de carboidratos em excesso é um sério motivo de preocupação. Um estudo publicado na revista “Cancer Epidemiology, Mile Markers, and Prevention” descobriu que o consumo regular de carboidratos refinados foi associado a um aumento de 220% no câncer de mama entre as mulheres. Os alimentos com altos índices glicêmicos em geral também têm demonstrado aumentar rapidamente os níveis de açúcar no sangue, que afeta diretamente o crescimento e disseminação de células cancerígenas.

7) Açúcares Refinados                                                                                                                  O mesmo vale para os açúcares refinados, que tendem a elevar os níveis de insulina rapidamente e alimentar o crescimento das células do câncer. Adoçantes ricos em frutose, como o xarope de milho com alto teor de frutose (HFCS), são particularmente ofensivos, pois foi mostrado que as células cancerígenas facilmente e rapidamente os metabolizam para que se proliferem. E uma vez que biscoitos, bolos, tortas, refrigerantes, sucos, molhos, cereais e muitos outros itens processados, principalmente os alimentos mais populares, são carregados de HFCS e outros açúcares refinados, isso ajuda a explicar por que as taxas de câncer estão em ascensão nos dias de hoje.

8) Maçãs, Uvas e Outras Frutas “Sujas” Convencionais                                               Muitas pessoas pensam que estão comendo algo saudável quando compram maçãs, uvas ou morangos na loja. Mas a menos que essas frutas sejam orgânicas ou certificadas como livre de pesticidas, elas podem aumentar o risco de câncer. O grupo “Environmental Working Group” (EWG) descobriu que até 98 por cento de todos os produtos convencionais, e, particularmente, os tipos provavelmente encontrados na sua lista de frutas, está contaminado com pesticidas cancerígenos.

9) Salmão de Viveiro                                                                                                                      De acordo com Dr. David Carpenter, diretor do Instituto de Saúde e Meio Ambiente na Universidade de Albany, Salmão de viveiro é outro alimento de alto risco causador de câncer. De acordo com sua avaliação, o salmão de viveiro não só carece de vitamina D, mas muitas vezes é contaminado com substâncias químicas cancerígenas, PCBs (bifenilas policloradas), pesticidas e antibióticos.

10) Óleos Hidrogenados                                                                                                               Eles são comumente usados ​​para preservar os alimentos processados e fazer com que estes alimentos possam permanecer mais tempo nas prateleiras dos supermercados. Mas os óleos hidrogenados alteram a estrutura e flexibilidade das membranas celulares no corpo, o que pode levar a uma série de doenças debilitantes como o câncer. Alguns fabricantes estão parando de usar óleos hidrogenados e estão os substituindo por óleo de palma e de outras alternativas mais seguras, mas as gorduras trans ainda são amplamente utilizados em alimentos processados​​.

Conheça 10 transgênicos que já estão na cadeia alimentar

BBC08/02/201306h07

  • Salmão geneticamente modificado é primeiro animal do tipo a ser liberado para o consumoSalmão geneticamente modificado é primeiro animal do tipo a ser liberado para o consumo

Em janeiro, a agência que zela pela segurança alimentar nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA) aprovou para consumo um tipo de salmão geneticamente modificado, reacendendo o debate sobre a segurança dos transgênicos e suas implicações éticas, econômicas sociais e políticas.

É a primeira vez que um animal geneticamente modificado é aprovado para consumo humano.

Mas muitos consumidores nos Estados Unidos, Europa e Brasil, regiões em que os organismos geneticamente modificados (OGMs) em questão de poucos anos avançaram em velocidade surpreendente dos laboratórios aos supermercados, passando por milhões de hectares de áreas cultiváveis, continuam desconfiados da ideia do homem cumprindo um papel supostamente reservado à natureza ou à evolução – e guardam na memória os efeitos nocivos, descobertos tarde demais, de “maravilhas” tecnológicas como o DDT e a talidomida.

Boa parte do público ainda teme possíveis efeitos negativos dos transgênicos para a saúde e o meio ambiente.

Pesquisas de opinião nos Estados Unidos e na Europa, entretanto, indicam que a resistência aos OGMs tem caído, refletindo, talvez, uma tendência de gradual mudança de posição da percepção pública.

As principais academias de ciências do mundo e instituições como a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) são unânimes em dizer que os transgênicos são seguros e que a tecnologia de manipulação genética realizada sob o controle dos atuais protocolos de segurança não representa risco maior do que técnicas agrícolas convencionais de cruzamento de plantas.

O salmão transgênico, que pode chegar às mesas de jantar em 2014, será o primeiro animal geneticamente modificado (GM) consumido pelo homem.

Vários produtos GM já estão nos supermercados, um fato que pode ter escapado a muitos consumidores – apesar da (discreta) rotulagem obrigatória, no Brasil e na UE, de produtos com até 1% de componentes transgênicos.

A BBC Brasil preparou uma lista com 10 produtos e derivados que busca revelar como os transgênicos entraram, estão tentando ou mesmo falharam na tentativa de entrar na cadeia alimentar.

Milho

  • Dezoito variedades de milho transgênico são aprovadas para consumo no Brasil

Com as variantes transgênicas respondendo por mais de 85% das atuais lavouras do produto no Brasil e nos Estados Unidos, não é de se espantar que a pipoca consumida no cinema, por exemplo, venha de um tipo de milho que recebeu, em laboratório, um gene para torná-lo tolerante a herbicida, ou um gene para deixá-lo resistente a insetos, ou ambos. Dezoito variantes de milho geneticamente modificado foram autorizadas pelo CTNBio, órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia que aprova os pedidos de comercialização de OGMs.
O mesmo pode ser dito da espiga, dos flocos e do milho em lata que você encontra nos supermercados. Há também os vários subprodutos – amido, glucose – usados em alimentos processados (salgadinhos, bolos, doces, biscoitos, sobremesas) que obrigam o fabricante a rotular o produto.

O milho puro transgênico não é vendido para consumo humano na União Europeia, onde todos os legumes, frutas e verduras transgênicos são proibidos para consumo – exceto um tipo de batata, que recentemente foi autorizado, pela Comissão Europeia, a ser desenvolvida e comercializada. Nos Estados Unidos, ele é liberado e não existe a rotulação obrigatória.

Óleos de cozinha

Os óleos extraídos de soja, milho e algodão, os três campeões entre as culturas geneticamente modificadas – e cujas sementes são uma mina de ouro para as cerca de dez multinacionais que controlam o mercado mundial – chegam às prateleiras com a reputação “manchada” mais pela sua origem do que pela presença de DNA ou proteína transgênica. No processo de refino desses óleos, os componentes transgênicos são praticamente eliminados. Mesmo assim, suas embalagens são rotuladas no Brasil e nos países da UE.

Soja

No mundo todo, o grosso da soja transgênica, a rainha das commodities, vai parar no bucho dos animais de criação – que não ligam muito se ela foi geneticamente modificada ou não. O subproduto mais comum para consumo humano é o óleo, mas há ainda o leite de soja, tofu, bebidas de frutas e soja e a pasta misso, todos com proteínas transgênicas (a não ser que tenham vindo de soja não transgênica). No Brasil, onde a soja transgênica ocupa quase um terço de toda a área dedicada à agricultura, a CTNBio liberou cinco variantes da planta, todas tolerantes a herbicidas – uma delas também é resistente a insetos.

Mamão papaya

Os Estados Unidos são o maior importador de papaya do mundo – a maior parte vem do México e não é transgênica. Mas muitos americanos apreciam a papaya local, produzida no Havaí, Flórida e Califórnia. Cerca de 85% da papaya do Havaí, que também é exportada para Canadá, Japão e outros países, vem de uma variedade geneticamente modifica para combater um vírus devastador para a planta. Não é vendida no Brasil, nem na Europa.

Queijo

Aqui não se trata de um alimento derivado de um OGM, mas de um alimento em que um OGM contribuiu em uma fase de seu processamento. A quimosina, uma enzima importante na coagulação de lacticínios, era tradicionalmente extraída do estômago de cabritos – um procedimento custoso e “cruel”. Biotecnólogos modificaram micro-organismos como bactérias, fungos ou fermento com genes de estômagos de animais, para que estes produzissem quimosina. A enzima é isolada em um processo de fermentação em que esses micro-organismos são mortos. A quimosina resultante deste processo – e que depois é inserida no soro do queijo – é tida como idêntica à que era extraída da forma tradicional. Essa enzima é pioneira entre os produtos gerados por OGMs e está no mercado desde os anos 90. Notem que o queijo, em todo seu processo de produção, só teve contato com a quimosina – que não é um OGM, é um produto de um OGM. Além disso, a quimosina é eliminada do produto final. Por isso, o queijo escapa da rotulação obrigatória.

Pão, bolos e biscoitos

Trigo e centeio, os principais cereais usados para fazer pão, continuam sendo plantados de forma convencional e não há variedades geneticamente modificadas em vista. Mas vários ingredientes usados em pão e bolos vêm da soja, como farinha (geralmente, nesse caso, em proporção pequena), óleo e agentes emulsificantes como lecitina. Outros componentes podem derivar de milho transgênico, como glucose e amido. Além disso, há, entre os aditivos mais comuns, alguns que podem originar de micro-organismos modificados, como ácido ascórbico, enzimas e glutamato. Dependendo da proporção destes elementos transgênicos no produto final (acima de 1%), ele terá que ser rotulado.

Abobrinha

Seis variedades de abobrinha resistentes a três tipos de vírus são plantadas e comercializadas nos Estados Unidos e Canadá. Ela não é vendida no Brasil ou na Europa.

Arroz

Uma das maiores fontes de calorias do mundo, mesmo assim, o cultivo comercial de variedades modificadas fica, por enquanto, na promessa. Vários tipos de arroz estão sendo testados, principalmente na China, que busca um cultivo resistente a insetos. Falou-se muito no golden rice, uma variedade enriquecida com beta-caroteno, desenvolvida por cientistas suíços e alemães. O “arroz dourado”, com potencial de reduzir problemas de saúde ligados à deficiência de vitamina A, está sendo testado em países do sudeste asiático e na China, onde foi pivô de um recente escândalo: dois dirigentes do projeto foram demitidos depois de denúncias de que pais de crianças usadas nos testes não teriam sido avisados de que elas consumiriam alimentos geneticamente modificados.

Feijão

A Empresa Brasileira para Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, conseguiu em 2011 a aprovação na CTNBio para o cultivo comercial de uma variedade de feijão resistente ao vírus do mosaico dourado, tido como o maior inimigo dessa cultura no país e na América do Sul. As sementes devem ser distribuídas aos produtores brasileiros – livre de royalties – em 2014, o que pode ajudar o país a se tornar autossuficiente no setor. É o primeiro produto geneticamente modificado desenvolvido por uma instituição pública brasileira.

Salmão

Após a aprovação prévia da FDA, o público e instituições americanos têm um prazo de 60 dias (iniciado em 21 de dezembro) para se manifestar sobre o salmão geneticamente modificado para crescer mais rápido. Em seguida, a agência analisará os comentários para decidir se submete o produto a uma nova rodada de análises ou se o aprova de vez. Francisco Aragão, pesquisador responsável pelo laboratório de engenharia genética da Embrapa, disse à BBC Brasil que tem acompanhado o caso do salmão “com interesse”, e que não tem dúvidas sobre sua segurança para consumo humano. “A dúvida é em relação ao impacto no meio ambiente. (Mesmo criado em cativeiro) O salmão poderia aumentar sua população muito rapidamente e eventualmente eliminar populações de peixes nativos. As probabilidades de risco para o meio ambiente são baixas, mas não são zero…na natureza não existe o zero”.

E estes não deram certo…

A primeira fruta aprovada para consumo nos Estados Unidos foi um tomate modificado para aumentar sua vida útil após a colheita, o “Flavr Savr tomato”. Ele começou a ser vendida em 94, mas sua produção foi encerrada em 97, e a empresa que o produziu, a Calgene, acabou sendo comprada pela Monsanto. O tomate, mais caro e de pouco apelo ao consumidor, não emplacou. O mesmo ocorreu com uma batata resistente a pesticidas, lançada em 95 pela Monsanto: a New Leaf Potato. Apesar de boas perspectivas iniciais, ele não se mostrou economicamente rentável o suficiente para entusiasmar fazendeiros e foi tirada do mercado em 2001.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s