Reciclagem

 

Além de seu efeito nocivo sobre o meio ambiente e o contrabando ilegal para os países em desenvolvimento, os pesquisadores agora associaram o lixo eletrônico a efeitos adversos sobre a saúde humana.
Os danos incluem a inflamação e o estresse oxi- dativo, precursores de doenças cardiovasculares  , danos ao DNA e, possivelmente, câncer.
Em um estudo publicado no jornal científico Environmental Research Letters, os pesquisa- dores recolheram amostras de ar em uma das maiores áreas de desmantelamento de lixo eletrônico na China e examinaram os efeitos sobre as células epiteliais do pulmão humano.

Lixo eletrônico

O lixo eletrônico inclui aparelhos elétricos e eletrônicos que chegaram ao fim de sua vida útil, como computa- dores, televisores, impressoras e telefones celulares. Grande parte do lixo eletrônico de todo o mundo é     exportada para a China. Devido à forma como é feito o processo de reciclagem, a céu aberto, são liberados muitos poluentes, tais como poluentes orgânicos   persistentes e metais pesados, que podem facilmente se acumular no corpo humano através da inalação do ar contaminado.                                                                                                                                    Inflamação e estresse oxidativo              

Bagaço de cana-de-açúcar vira asfalto

Categoria:Reciclagem de resíduo orgânico

Trecho de asfalto experimental, na BR356                                                                                                    Reutilizando resíduos de cana-de-açúcar, pesquisadores do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia Fluminense (IFF) substituem fibra de celulose na produção de asfalto. O empreendimento deve ganhar o mercado por ser sustentável e não perder em qualidade para o método usado anteriormente, já que o bagaço de cana possui característica semelhante à fibra da celulose.                                                                          Mais econômico que o método habitual no processamento do asfalto – a fibra da celulose é importada pelo país da Alemanha – e mais eficiente – já que a pesquisa aponta para maior poder de retenção do bagaço de cana em relação às britas usadas -, tal empreendimento revela novamente que sustentabilidade e bons negócios podem e devem caminhar juntos.

Baixe aqui um infográfico que mostra como funciona a mistura de bagaço de cana-de-açucar e asfalto 

  • Categoria: 3R’s 

    Falamos de reciclagem neste site desde o ano 2000, mas no famoso esquema dos 3Rs (reduzir, reusar e reciclar), a reciclagem vem em último lugar. Quem busca conscientização ambiental deve tomar atitudes que reduzam a demanda de matérias-primas para a fabricação dos mais diversos artefatos; evitar o desperdício é uma delas.

    É um grande desafio educacional e cultural face à inserção das pessoas numa sociedade de consumo descartável.

    Um exemplo de reuso está no reaproveitamento de embalagens vazias, normalmente para finalidades diversas da destinação original, o que dispensa a compra de embalagens novas ou evita a compra de outros produtos se a reutilização for de “reciclagem artesanal”.

    O reuso tem uma característica peculiar, que é o baixo ou nulo consumo de energia e de insumos para sua realização. Esta é a grande diferença frente à reciclagem.                                         Quando o material não tem condições de reutilização (como no caso de uma embalagem de vidro quebrada), aí sim lança-se mão da reciclagem. Nela, consomem-se energia e insumos (água, trabalho de pessoas, etc) para transformar o produto usado em novos artigos, inclusive diferentes do produto inici

    A logística do óleo de fritura

  • O óleo de fritura é um resíduo altamente poluente, descartado de forma irracional em grande quantidade diariamente nos ralos das pias, causando transtornos na rede de saneamento e a poluição dos rios.             Como forma de minimizar os impactos ambientais, óleo usado pode ser reutilizado na fabricação de produtos de diversos segmentos da indústria, gerando novas fontes de renda.

    Segundo reportagem da Globo News4

  • (2009), cada litro de óleo pode contaminar cerca de 22.000 litros de água. No Brasil são descartados cerca de 9 bilhões de litros de óleo de cozinha por ano, mas apenas 2,5 % desse óleo é reprocessado e reinserido na cadeia produtiva.
    Como forma de minimizar os impactos ambientais, óleo usado pode ser reutilizado na
    fabricação de produtos de diversos segmentos da indústria, gerando novas fontes de renda como é o caso da utilização na:
    – Produção de sabão e detergente;
    – Tintas à óleo;
    – Massa de vidraceiro;
    – Telhado ecológico;
    – Produção de biodiesel, e outros.
    O sabão feito em casa, por exemplo, com o óleo usado possui maior facilidade de
    degradação que os sabões comuns, pelo fato de não conter fósforo.
  • Quer saber mais?  Baixe gratuitamente o manual “A logística reversa do óleo de fritura usado como solução para problemas ambientais” 
    • fonte: Logistica Total

  • Resíduos Hospitalares

    Categoria: Reciclagem de resíduo hospitalar

    Resíduos Sólidos Hospitalares ou “lixo hospitalar”, sempre constituiram um problema bastante sério para os administradores hospitalares, devido principalmente a falta de informações a respeito, gerando mitos e fantasias entre funcionários, pacientes, familiares e principalmente a comunidade vizinha as edificações hospitalares e aos aterros sanitários. A atividade hospitalar é por si só uma fantástica geradora de resíduos, inerente a diversidade de atividades que se desenvolvem dentro destas empresas.

    O desconhecimento e a falta de informação sobre o assunto faz com que, em muitos casos, os resíduos sejam ignorados, ou recebam um tratamento com excesso de cuidado, onerando ainda mais os já combalidos recursos das instituições hospitalares. Não raro lhe são atribuídas a culpa por casos de infecção hospitalar e outros tantos males.

    Resíduos HospitalaresContaminação
    O maior problema é o chamado “lixo infectante – classe A”, que representa um grande risco de contaminação, além de poluir o meio ambiente. Há estabelecimentos não fazem a separação deste material, que acaba indo para os aterros junto com o lixo normal ou para a fossa.                        Outro problema é o chamado “lixo perigoso – clase B”, cuja destinação final, atualmente, fica sob responsabilidade dos hospitais.

Coleta seletiva Reciclagem de metal Reciclagem de papel Reciclagem de plástico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s